dom de línguas

Maio 21, 2013 § Deixe um comentário

Foi preciso chegar gente da Holanda para me ensinar a cumprimentar o meu vizinho Chinês, na língua dele.

Assim que ouviu um som parecido com «ni-hao», saltou para fora da porta ao nosso encontro. O resto foi dito em sorrisos, gestos… porque ninguém sabia mais!

Precisamos de tão pouco.
Precisamos tanto de gente que fale a nossa língua.
Mas, o dialecto mais precioso é o do silêncio que liberta, que abre espaço para acolher para além das palavras.

o silêncio é um privilégio

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

What’s this?

You are currently reading dom de línguas at tempo comum.

meta