o novo dia

Julho 16, 2012 § Deixe um comentário

Naquele dia, olhou para aqueles que tinha feito seus amigos e irmãos.
Chamou-os, dois a dois, como no princípio.
Chamou-os pelo nome.
Chamou-os tal como eram, homem ou mulher e enviou-os.
Primeiro, enviou-os um ao outro, pelo caminho.
Fez uma investidura ao contrário das missões deste mundo: em vez de investi-los, despiu-os das seguranças materiais, dos véus que servem para cobrir, esconder e criar distâncias.
Deu-lhes o poder mais forte: o de quem ama até ao fim, suporta tudo, até a impotência.
Entregou-os um ao outro, tal como eram, tal como estavam.
Enviou-os despojados, a necessitarem do apoio e suporte dos outros.
Enviou-os a partilhar a fragilidade e, nela, anunciar a boa notícia da proximidade do Pai que nos sente, como no princípio.

Veio a tarde e, em seguida, a manhã: este é o novo dia.

“Glória ao Deus que não nos criou acabados, dando-nos assim a oportunidade de nos construirmos de modo livre, consciente e capazes de comunhão!”  Calmeiro Matias

[foto de Mike Baird]

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

What’s this?

You are currently reading o novo dia at tempo comum.

meta